quinta-feira, 28 de abril de 2011

Revolução rija por maior flexibilidade - A revolucionária em mim

Já está visto que sou privilegiada. Porquê aderir à revolução? Porque ter esta "flexibilidade" não deveria ser um privilégio, mas sim um direito. Não só de mães e pais, mas de seres humanos. Trabalhar para viver e não viver para trabalhar.
Todos temos os nossos reinos. Todos temos os nossos castelos. Todos temos súbditos, com ou sem laços sanguíneos.
Porque é tão difícil aos reis aceitarem os horários contínuos? O trabalhar em casa, quando possível? Sair mais cedo e repor noutro dia, se necessário?
Porque não juntar todos os funcionários de uma empresa, arranjar um espaço no mesmo edifício, contratar uma educadora e deixar lá os mais pequenos, para estarem ali perto? As creches andam cheias, as mensalidades pelas horas da morte, os espaços que, por vezes, nos fazem encolher... Uma educadora, numa creche, costuma receber o salário mínimo. O Estado deveria criar, da mesma maneira que existem as amas, os educadores "de casa". Contar para tempo de serviço quando fossem contratados por uma empresa (mesmo que fossem os funcionários interessados a pagarem). Imaginem: estão no trabalho e os vossos filhos numa sala, ali bem pertinho. Onde as mamãs podem dar de mamar na hora certa, sem stress... Onde podem passar as refeições juntos... onde, chegando a hora, é só pegar e ir para casa, sem mais stress em caminhos cheios de trânsito em horas de ponta. E quem diz crianças em idade pré-escolar, também diz ATL.
Eu anseio ser rainha deste meu futuro castelo. Anseio mudar as regras estipuladas sabe-se lá por quem. Quero construir um reino onde realeza e povo sejam estimados, bem tratados, alegres... Porque depois, quem corre por gosto não cansa.
E é triste saber que pouca gente pensa assim. É triste saber que a sociedade demora a mudar. Mas alegra-me pensar que poderei vir a contribuir para essa mudança que começa hoje, no dia da Revolução do 28 de Abril de 2011!!!

Vá, atirem-me cravos...

Sempre vossa, para um futuro melhor
A princesa Tungsténia

7 comentários:

MA disse...

Eu luto por isso todos os dias... trabalho num reino onde não podemos chegar 1min atrasados que temos que justificar, que quando temos uma consulta médica, nós ou os nossos filhos, não podemos compensar e conta como falta justificada que desconta para os dias de férias, mesmo que compenses durante o dia, por exemplo não fazendo hora do almoço... é assim... revoluciona o mundo, e um dia se precisares de alguém para trabalhar num reino assim, contacta-me! MA

Jane & Cia disse...

Concordo contigo em tudo. Um mundo mais justo e mais à medida da nossa (quase aniquilada) humanidade!

Lúcia disse...

concordo concordo e concordo...

Brisa disse...

Serei sua súbdita quando chegar a Rainha :)

Manuela disse...

Ó minha gémea, vais fundar uma nova empresa?! Parabéns, a ideia é fantástica. Quero ver/ler mais :)

Tella disse...

Aplaudo!

A mãe que capotou disse...

Princesa ... (ao que uma pessoa chega!) atiro-te os cravos todos que quiseres e mais algum. Muito bem !
Amanhã, a Ernestina espera por si para mais um dia duro e rijo, desta vez, cabe-lhe a missão de recrutamento. A revolução estende-se para dia 29 e deverão os seus subditos (suspiro) dizer de sua justiça - mobilize-os para esta causa que abraçou !