quinta-feira, 28 de abril de 2011

Revolução rija por maior flexibilidade - A princesa em mim

Para princesa, sou uma privilegiada. Em alguns aspectos sou até uma rainha! Porquê? Porque tive sorte. E, quando chegou a altura de colocar tudo nos pratos da balança, soube escolher. Mas tive de passar por cima de sonhos, calcando bem calcados para não voltarem a si, enterrar ambições com serviços fúnebres de meter dó, suspirar e erguer a cabeça. Para a frente é que é o caminho.

Enquanto jovem princesa, estudei para ser educadora. Terminado o curso quis a vida, e o extracto bancário, que não desse para esperar por uma oportunidade, tendo sido recambiada para o reino familiar.

O meu conto é longo. Como tantos outros... Sou uma princesa dos tempos modernos, com súbdito que reparto com reino vizinho, permitindo-me alguns momentos para organização mais tranquila do meu castelo.
Quanto ao meu Reino, este é comandado por Senhor Rei meu pai. Chamam-me princesa herdeira. Vai daí que súbdito tenha alguns privilégios por merecer atenção extra do Rei. E eu também. Príncipe herdeiro também participa, tendo começado a reinar mais tarde, devido a idade mais em conta, recebendo uma maior fatia ao fim do mês - vantagem de não ter um par de ovários.
As horas para trabalhos de realeza são as mesmas 8h diárias, das 9h às 18h. Onde chegar tarde é repreensível, assim como sair a horas.  Obrigações têm sempre hora para iniciar, mas nunca para terminar. Como princesa herdeira, chego a horas, saio quase sempre a horas. Súbdito fica a 5 minutos de distância - opção tomada de modo a perder o menos tempo possível quando existem manifestações, festejos, reuniões.
Quando há doença, real ou súbdita (ficou bonito), tenho a vantagem e possibilidade de assinar tratados a partir do castelo (a net e as ligações remotas são uma maravilha).
E, acima de tudo, não corro o risco de ser pontapeada para fora deste reino. Este, ninguém me tira (a não ser que a crise nos venha catapultar e invadir...).
E de que me queixo? Porque me revoluciono?
Atentai ao próximo capítulo!!

1 comentário:

Manuela disse...

Minha gémea, é bom ser princesa de um reino familiar, não é? Digo eu que sempre fui criada de fora, de um reino trapalhão... ;)