quinta-feira, 15 de julho de 2010

Ando eu a queixar-me

e depois leio uma história destas que me reduz à minha insignificância.
Leiam, mas primeiro ide buscar lenços de papel, em bom número. E para quem está no trabalho, coloquem os óculos de sol para disfarçar. Ou ide fumar um cigarro no final (este foi o meu escape). Ainda estou para aqui a fungar...

5 comentários:

by "A Invisível" disse...

Senhorita Crente;

Era só para informar vossa excelência, que eu e a Nirvana Nexita, estamos à espera de um convite da sua parte, para tomarmos café numa esplanada algures por aí assim; em bom e em grande, com muitos sorrisos e palheta à mistura.

Aguardamos ansiosas o seu convite.

Sem mais de momento:
Invisível Maria

:)))

Libelinha☆ disse...

É uma história linda... Infelizmente também muito triste!...

São estas coisas que nos mostram o quanto ás vezes os nossos problemas são mesmo insignificantes!...

Beijinhos ;P

Paula disse...

São histórias de mulheres deslumbrantes que circulam neste mundo "tocando" noutras com a sua força e determinação... e acima de tudo na FÉ!!!!

Beijinhos de agradecimento pela partilha!

Suspiro disse...

Lembro-me de ver uma reportagem sobre a "tia preta" na tv e ter ficado muito sensibilizada... E depois é assim,são sempre estas pessoas que dão tudo o que têm e o que não têm que sofrem demasiado e partem cedo!

Patita disse...

Já tinha lido a história e realmente reduz-nos à nossa insignificância de um grão de areia no universo ao pensarmos que existem pessoas com uma personalidade e caractér como os da Tia Preta, com coragem para tanto...
Acho que não tinha tanta coragem como ela... Acho não, tenho a certeza!