quinta-feira, 25 de março de 2010

Relações fast-food

Hoje soube de (mais) um casal, que se vai separar. Daqueles que se mostrava feliz, juntos e cúmplices...
Fico a pensar que as relações são como as refeições: é mais fácil ir a um restaurante fast-food, comer um hamburguer ou seja lá o que for, ao invés de cozinhar uma refeição em casa, daquelas completas de antigamente, com direito a entradas, prato principal, sobremesa e afins. O tempo é pouco e vive-se com a facilidade de se iniciarem e terminarem relações com a mesma velocidade com que se manda vir uma pizza.
As relações exigem, ou pelo menos deviam exigir, dedicação, trabalho, cedências, cumplicidades... ler uma receita num livro, escolher os ingredientes cuidadosamente, cozinhar seguindo os passos e as temperaturas correctas. Coordenar sabores, temperá-los com a bebida certa a acompanhar... Adocicar o paladar com a sobremesa, saboreando colher a colher... não esquecendo o café e digestivos, para os amantes destes. Uma refeição, como deve de ser, inclui sujar tachos, loiça, bancadas... Inclui também preparar a mesa e recolher tudo no final. E arrumar, lavar, reorganizar. As relações também deviam merecer tudo isto... dedicação, pensamento, coordenação, com umas pitadas de discussões e reflexões. Se as refeições incluem deixar a cozinha arrumada no final, as relações também merecem ir dormir sem pontos pendentes por conversar. Também as relações se arrumam. Para que sejam funcionais.
Actualmente, há demasiados "Macdonaldes" no amor. E pouca cozinha tradicional.

4 comentários:

Miguel disse...

Mas ainda há cozinha tradicional?

Diz-me onde, por favor...

Crente disse...

Há, nem sempre cozinha tradicional portuguesa, mas há... Encontrar bons restaurantes é que é uma tristeza :P

Isilda disse...

Relacionaste muito bem uma relação com a culinária!
Isto acontece porque uma grande massa de pessoas não estão dispostas para se comprometerem para a vida,não querem ter nada sério e as relações são todas fast food porque todos pensam em s*** e se os objectivos não são os mesmos,desistem.
Também é difícil encontar alguém com maturidade!

Crente disse...

Antigamente a maturidade ainda se ia relacionando com a idade... Agora acho que já nem isso. Mas ainda há quem se comprometa, quem goste de cozinhar..